01/12/17 - Superliga

No último compromisso antes do Mundial, Sada Cruzeiro encara o Vôlei Renata em Manaus

O Sada Cruzeiro viajou na manhã desta sexta-feira para Manaus-AM, onde enfrentará a equipe do Vôlei Renata pela nona rodada da Superliga 2017/18. A partida, que acontece em uma praça diferente devidos aos patrocinadores do time de Campinas, começa às 21h deste sábado (horário de Brasília), 02/12, na Arena Amadeu Teixeira. Este também é o último duelo dos cruzeirenses neste ano pelo campeonato nacional, já que na próxima quinta-feira, 7, a equipe parte para a Polônia para a disputa do Mundial de Clubes. Por isso, a palavra de ordem é manter o aproveitamento e fechar muito bem esta etapa do Brasileiro.

Com algumas partidas antecipadas por causa do Mundial, o jogo em Manaus representa o fechamento do turno para o elenco mineiro. O Sada Cruzeiro lidera a tabela da Superliga com nove vitórias em 10 jogos, totalizando 27 pontos. Com dois jogos a menos, o Vôlei Renata é o sétimo colocado na classificação geral, com 11 pontos, sendo quatro resultados positivos e quatro negativos.

O central Isac falou sobre a dificuldade do confronto – Renato Araújo/Sada Cruzeiro

Diante da equipe de Campinas o Sada Cruzeiro já disputou várias decisões, entre elas a final da Superliga 2015/16, quando conquistou o tetracampeonato. Agora as equipes se encontram em mais um clássico e a expectativa, segundo o central Isac, é de um jogo duro.

“O Vôlei Renata é um time muito experiente e vamos ter que jogar o nosso melhor o tempo inteiro. O técnico deles, o Horacio Dileo, nos conhece muito bem, por já ter jogado contra a gente muitas vezes e também pela relação que tem com o Marcelo. É um time experiente, com grandes jogadores, como Vissoto, Diogo, Vini. Então, independente do lugar do jogo temos que entrar e jogar muito bem. Na Superliga não temos vida fácil e nesta partida não será diferente”, disse Isac.

Leal valorizou a oportunidade de conhecer a região Norte

Será a primeira vez que o Sada Cruzeiro jogará na região norte do país. E mesmo tão distante de Belo Horizonte, cruzeirenses da região estão aproveitando a oportunidade de ver de perto o elenco multicampeão e estão se mobilizando para ir apoiar o time.

“Cruzeirense tem em todos os lugares e vai ser bom conhecer essa região do Brasil. Acho que será bem diferente. É uma região que eu não conheço e acho que quanto mais lugares pudermos levar o vôlei, melhor. O brasileiro gosta muito de vôlei”, afirmou o cubano naturalizado brasileiro Leal.